22/12/2017

Tá tudo bem não estar tudo bem

Eu sempre fui adepta de auto-ajuda de tumblr, talvez por acreditar que quem compartilhava aquilo por lá também precisava ouvir aquilo naquele momento então eu não estava sozinha com todo aquele pensamento confuso sobre mim mesma ou sobre a vida em geral. Eu sempre acreditei que ninguém mais sentia o mesmo que eu, ou que estava completamente sozinha. Isso me fazia sentir mais parte de tudo, nem que fosse dentro de um grupo que também precisava se encontrar.

Hoje em dia eu consigo acreditar que já sou parte, mas ainda não acho que tenha entendido isso direito. É por isso que sempre gostei de Amélie. Desde a primeira vez que eu vi. Tá, pode parecer meio clichê, já que a maioria das pessoas insiste em dizer que gosta. Eu sou mais uma dessas pessoas. Mas a pior parte de tudo isso é que sou extremamente parecida com ela. E não que eu ache isso bom, até porque acho que ela não é uma personagem incrível nem de longe. Não é uma coisa que eu adore dizer: "viu só, eu sou quase uma Amélie". Até porque olha, a menina não é tão legal assim.

Uma coisa que sempre me fez sentir melhor nesse filme é o fato de sempre ter acreditado que minha vida era péssima. Tá tudo errado. Eu não aproveito. Eu não tenho muitos amigos. Eu não saio. Eu não vivo uma linda história de amor a cada mês. Não dá pra acreditar que está tudo bem sentar no sábado a noite e fazer todos os testes do buzzfeed, de novo, e de novo. Não dá pra acreditar que existe tanta falta de vontade de estar fora de casa por duas noites seguidas. Eu sou jovem, tenho tanta coisa... Enfim. Não dá pra acreditar que não eu era  uma pessoa que tem que estar em todos os lugares e com todo mundo.

Voltando, eu assisto ao filme e acredito mesmo que está tudo bem ser assim. Eu acredito mesmo que, apesar de ser simples assim, ser apenas umas coisinhas de nada, uma vida sem muitos altos, é possível sim aproveitar da minha maneira. E olha, é só a minha maneira que tá importando ultimamente. A hora que você percebe que existem pessoas que não estão mais aqui e outras que estão e não vão sair é a hora em que começa a realmente acreditar que vai dar tudo certo. Eu não aprendi rápido, e ainda tô na lida. E assim vai.

Eu gosto de falar de mim, então escrevo. E faz muita falta não poder colocar isso em forma de alguma coisa, mesmo que não faça sentido algum. Eu só paro pra pensar nas coisas agora, em como eu cresci no último ano, em como aprendi a viver a minha vida, em como eu ainda estou caminhando pra melhor, mas isso agora, não mais tarde.

Ainda sou fascinada pelas coisas mais bobas do mundo. Eu juro que todo esse tempo eu só procurei por coisas que realmente preenchessem com grandes feitos, sempre esquecendo de que nada disso faz mesmo tanto sentido pra mim. Não faz mesmo, porque eu não sou assim, e não tem problema. Aliás, sempre vai estar tudo bem não estar tudo bem, mesmo que eu não perceba isso com facilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?