20/10/2016

Eu sou outra pessoa. Mas ainda não faço a mínima ideia de quem eu seja. 
Comecei esse ano com uma ideia tão fixa do que queria e termino sem saber o que fazer. Parece que todos os meus sonhos resolveram me atormentar e jogar na minha cara que sou muito mais fraca do que penso que eu sou. Eu finjo dizendo que tá tudo bem, na maioria das vezes. Só que ao mesmo tempo me sinto bem comigo mesma. Tá tão confuso que eu só sei disso, só sei que eu não sei o que fazer, e todo mundo insiste em dizer que eu não preciso mesmo saber o que fazer, mas sempre tenho que saber (eu sei que eles querem que eu saiba). A verdade é que chegou esse momento que eu estou cansada de ser obrigada a saber o que fazer mesmo que, supostamente, eu não tenha que nada. 
Todo mundo tenta fazer a gente ficar bem. Quero dizer, quem realmente se importa. E não parece que alguém realmente tenta ajudar. No fim tudo parece só um tenho que fazer a minha parte porque você é supostamente importante pra mim.
É tanta suposição que até supor que é suposição é meio errado. Erroneamente acreditamos que alguém se importa mas na hora todo mundo some ou encontra alguém melhor. É por isso que eu sempre acreditei que afastava as pessoas. E parece mesmo, porque não importa o quanto eu me esforce ou tente ser melhor pros outros, acaba que no fim do dia eu sempre tô sozinha.
Eu não quero saber se acham que eu sou boa, ou se alguém sente mesmo que precisa fazer alguma coisa por mim. Eu não quero sentir que alguém pode ou deve fazer alguma coisa por mim. u quero fazer isso sozinha. Quero aprender a me virar do meu jeito sem precisar de ninguém pra me dar dicas ou fazer planos que criem uma ideia muito melhor de mim.
Eu estou cansada de ficar com esse nó na garganta porque nunca acerto as coisas e nunca sou o que esperam que eu seja. 
Quando eu começo a pensar demais acho que vou morrer de solidão. Não de velhice ou de doença. Mas de vazio. E é horrível sentir assim.

Um comentário:

  1. oi. Legal o texto. Legal do tipo, bem "isso mesmo". Essa é uma indicação que eu mesma nunca li (embora me identifique terrivelmente com o seu texto, principalmente o ultimo parágrafo), mas talvez você se interesse por "Vinte e poucos anos". É tipo auto-ajuda. Se bem que, por outro lado, auto ajuda é tipo um anestésico né. Sei lá. Enfim, da hora o texto. Bye girls

    ResponderExcluir

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?