03/05/2016

Tão cheio quanto o universo

Do nada, de mansinho, esse sentimento de vazio tão lotado vai chegando. Chega com uma revolta, com uma tristeza, com uma explosão, e chega. Chega depois de um livro, de alguém, de um momento, e chega.

Enche o ser de ser. De viver. Mas também do morrer. E enche. Mas esvazia.

Tão cheio quanto o universo que com tanto é tão vazio. Que com tanto é tão pequeno. Que com tanto não é infinito. Que não liga pra nós.

Tão vazio quanto a atmosfera que é tão cheia. Que é tão cheia de coisas não capturáveis. Cheia de nada. Cheia do transparente. Cheia do vazio da vida.

Tão vazio tão cheio tão complexo e sem nexo, um sentimento tão incompleto que completa e que por sua grandeza e pequenez e todos os seus opostos se torna virtuoso o suficiente para não ser nomeado.

Indefinível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?