08/10/2015

Medo do que vem por aí deixando ir

Eu tenho um medo enorme de pensar no futuro. De pensar em sobre como as coisas devem ser daqui um tempo e do que eu devo fazer pra que essas coisas aconteçam. Que coisas, exatamente, eu não sei. Aliás, não tenho a mínima ideia do que eu quero pro meu futuro. Estou a um passinho fora do colégio e de escolher o que estudar pra fazer isso o resto da minha vida (ou não, já que as vezes eu sou uma bitch e quando boto na cabeça que não tô mais afim, não tô mesmo), sair de casa, viver minha vidinha e acabar com três filhas lindas que nem os meus pais, que passaram por muito perrengue e tão aí, levando a vida como todo o mundo faz, mesmo que seja superdifícil.

A pergunta "o que você se imagina fazendo daqui 10 anos" ou "onde você acha que estará com 85 anos" nunca faz sentido pra mim. Tipo, não tem como a gente planejar o que vai fazer. Tudo bem, tem gente que faz lista de coisas pra fazer em tal e tal idade. Não é estranho, é um jeito de a pessoa ter segurança de vida. Eu não tenho uma lista, e também não tenho segurança de vida. O que eu quero dizer é que não tem MESMO como planejar o futuro, simplesmente pelo fato de que a gente nem sabe se ele vai existir.

É por isso que estou aqui, faltando dez minutos pras quatro, numa tarde onde (obrigada Deus) eu não tive aula no curso, ouvindo Mac Demarco porque sinto falta da praia e tá bastante calor (desculpa Duda por reclamar do calor mesmo não podendo fazer nada a respeito), e procrastinando, a única coisa que faço bem. Aliás, gosto de me dar o prazer de não fazer nada, já que as pessoas exigem muito isso de mim. Exigem muito isso de todo o mundo. Todo o mundo tem sempre que estar fazendo alguma coisa pra realmente valer a pena no mundo e blá blá blá. Mas eu não acredito nisso. Não acredito que a gente seja sempre obrigado meeeeesmo a fazer alguma coisa. Por isso, nesse exato momento, não estou fazendo nada. Assim como a tarde toda. Simplesmente porque eu me deixei fazer isso.

Se eu me sinto culpada? É claro que me sinto. Afinal, como eu mesma já disse antes, estou a um passo de passar por ENEM e sair do ensino médio, o que é bastante estressante e principalmente exige muito estudo da minha parte. E menos procrastinação. O problema é que eu não tenho a mínima ideia de como vai ser e como já disse também, tenho muito medo de pensar no futuro. O fato de eu ter começado um texto com a frase eu tenho um medo enorme de pensar no futuro não é em vão, porque esse é realmente o meu maior medo. Meu medo enorme é por não ter grandes ambições pra minha vida ao contrário dos meus pais que realmente apostam em mim e também por não querer decepcionar ninguém por causa disso.

Será que, aos dezesseis anos, meus pais imaginavam que teriam a vida que eles tem hoje? Provavelmente não. Provavelmente tinham outros sonhos e certamente pouquíssima coisa condiz com o que eles queriam com a minha idade. Vale à pena planejar tanto assim, ou querer ter certeza de coisas que não tem jeito de saber, ou, sei lá, colocar os bois na frente da carroça? Não acho que ser tão capricorniano ajuda nessas horas. Acho que sou sim muito sonhadora pros dias que são difíceis pra nós. É difícil esquecer da vida e passar uma tarde fazendo nada porque meu pensamento tá sempre me culpando por não ter feito nada. E por não pensar no que vem por aí. Ou por não ter uma lista do que fazer. Ou por não querer saber mesmo. Só quero deixar estar. Sem pensar demais. Ai que coisa chata.

daqui

Um comentário:

  1. Olha, Ana, por experiência própria, digo que mesmo que a gente planeje cada centímetro da vida, não tem como sabermos nem se a metade vai realizar. E pra falar a verdade, na maioria das vezes a vida tem outras coisas planejadas pra gente. Não to dizendo que devemos seguir banda levou, mas que viver sempre pensando no futuro e na ideia que você tem do que será daqui dois ou cinco anos não é muito saudável. Sabe aquela história de que o que vale é o percurso? É isso mesmo. Até porque nós estamos em constante mudança, há um tempo eu não era feminista, hoje sou, anos atrás nunca tinha assistido star wars, hoje amo. Antes pensava que deveria escolher algo pro vestibular que eu faria pro reso da vida, hoje sei que existe muita coisa pra fazer ainda, além do que imaginei pra mim. Não somos uma pessoa só a vida inteira, nós mudamos de ideia, nos transformamos e decidimos que queremos outras coisas. E isso que é legal. Não se aflija muito com o término do médio (sei que é difícil), mas você não precisa saber agora o que fazer pro resto da vida e etc, se serve de consolo tenho 20 anos e ainda não sei. E pra ser sincera, a maioria das pessoas também não sabe ainda. A gente vai vivendo, se descobrindo e percebendo que existem infinitas possibilidades em infinitos períodos de tempo. Se joga!
    Beijosss

    ResponderExcluir

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?