30/04/2015

O mar

andei espremendo uns limões pra fazer um suco
e seguir a vida de onde eu parei.
andei ouvindo novas músicas
e espelhando os raios solares no quarto escuro e
um vinil quebrado jogado no canto da sala.
andei sentindo falta da brisa 
da calma 
do balanço e 
da falta que você me faz. 
meu coração bobo 
apaixonado 
balança
se joga
infame
com fome de amar.
não te quero de volta 
te quero lembrar 
te quero longe 
te quero sabendo que algum dia essa brisa 
esse balanço 
esse vento 
essa emoção de me sentir na dança 
já me fez parte por você existir. 
quero a conformidade
a uni for mi da de
a vida nova e
                          a brisa leve.
quero a dor de cabeça do esforço
a calma da alma e a
paz de espírito.
quero ouvir as músicas
os sons e o respirar de alguém bem pertinho de mim.
mas quero sentir tudo isso de novo sendo nova.
e feliz.



Um comentário:

  1. Aah, que lindo poema! tanto no formato quanto no conteúdo
    E esse é álbum do Cícero tá tão bão quanto os outros dois ^^
    sete-viidas.blogpot.com

    ResponderExcluir

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?