17/01/2015

Tão grande, para um pedaço tão pequeno.

Os dias passam, cada vez mais lentos e sem motivos
Eu vou deixando tudo e todos para trás
Eu vou andando, sem saber, mas nada anda como deveria.

Devagar é como se deve ir, visando o futuro.
Sem muito a pensar, isso tudo acaba num segundo,
E as coisas vão só ficando para trás, como se não houvesse amanhã.
Mas ele chega, e em ruínas estou.

A falta de qualidade na minha grande história de vida me tira do páreo
E é isso, não há quem me escute.
Eu posso ir seguindo assim, meio sem querer
Mas não pra sempre, nem sempre em frente.

É satisfatório pensar que nada disso irá estar aqui daqui um tempo,
Ninguém para se lembrar de nada, as coisas sendo como sempre foram para mim,
Agora para todos.

É um privilégio pensar que eu não me importo, e que ninguém liga pro que eu acho certo,
Ou deixo de notar, as coisas andam e eu continuo no mesmo lugar,
Milhas a frente, mas estagnada.

Posso ouvir tantas vozes vindo de algum lugar, tão longe quanto as paredes do Universo
Descobrir que as coisas continuam é bom, e traz uma paz que minha alma jamais considerou existir.

Mas infelizmente eu só tenho algo dentro de mim que eu sinto ser maior que tudo, mas que fica só aqui mesmo. Ninguém é o que eu achei que fosse. Ninguém é tão exato, tão grande. só de pensar no tamanho de tudo eu fico com vontade de nunca ter tido consciência.

Tão grande, para um pedaço tão pequeno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?