10/12/2014

você/eu/nós

Tenta fazer charme não, por favor? Não adianta ir devagarzinho, na pontinha dos pés, com o riso no canto dos lábios, movimentos sutis. Tenta ser mais do que é não, por favor? Isso tá soando tão estranho, tão fora do seu comum, tão fora de si, que eu nem ter enxergo.

A vida anda cada vez mais depressa, cada vez mais corrida, e essa iluminação indireta, o quentinho do café e a fonte redondinha do livro não vai fazer isso mais devagar, não se iluda. Fica aí quietinha no seu canto por amor e não por se esconder. Não faça de sua imundice sua glória. Mas também não se esconda.

A vida trota, mas é um percurso longo. Demora até na velocidade da luz! Um dia de cada vez, mas como se fosse o último.

Olha pra frente, quanta gente, não? Você também é parte disso, e tão importante quanto cada um desses aí. Ó, não se iluda, que mesma fechadinha na sua caixa, no maior dos segredos, alguém sabe. Aprende a voar e se joga, mas com cautela, as cosias não são tão bonitas como digo, nem tão preto e branco quanto você pensa.

Encontra seu meio termo, porque essa sua atitude tá me matando. Ou vai pra frente, ou vai pra trás, mas não fica aí.

Faz charme não, porque ninguém repara. Tanto faz se você faz tudo delicadinho, ou não. Se você continuar assim, nem vai existir você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?