25/09/2014

busca

o tempo passou rápido demais, e eu continuo com as mesmas perguntas de sempre.
eu não quero ter que voltar e pensar que isso algum dia foi verdade,
mas também não quero que isso que fique no total passado.
eu quero continuar meus passos, quero manter minha vida em atividade.
quero que algo além, que eu consiga com um toque alcançar.

e então a chuva vai caindo lá fora,
como tal não fosse culpada,
e eu continuo embaixo do teto, embaixo dos cobertores, embaixo de qualquer coisa que me pareça uma proteção.

o tempo vai, e vai, e vai.
e não volta, volta, volta.
só eu que não avanço.
só eu que não acompanho o balanço.

mas definitivamente, tudo segue em frente.
nada precisa de muito sentido, nada precisa de muita alegria.
as coisas precisam de forma. e apenas isso.
as vezes elas são físicas, as vezes palavras.
ainda existe quando elas não são mais que mera lembrança.
sem sentido. se forma.

e eu volto cada vez mais pro que passou e penso como nada sou.
há quem diga da minha sorte. do meu saber. de qualquer coisa minha.
mas no fim, eu sei, que não existe nada. nada.

poso estar aqui, mas e depois? e depois não estarei em lugar algum.
sem forma e sem sentido.

mas eu não quero fazer sentido.
não quero fazer sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?