29/09/2014

eu me sinto meio perdida e com vontade de fazer as coisas um pouco diferentes

os últimos dias têm sido o que há de melhor: alguns bons livros pra ler, chuva, dias de bom humor... mas definitivamente, as coisas não são mais como eram.

há um tempo atrás, eu correria para fazer algo. não deixaria coisa alguma pendente. eu ligaria para muito, faria muito. mas hoje, quer saber? não é o meu dia. não é o meu tempo.

eu me sinto mal de pensar isso. me sinto mal com a possibilidade de mexer um dedo sequer para mudar o mundo.

as coisas vão bem. já foram melhores. já foram piores. as coisas só estão andando.

e andam.

taylor swift book tag



não mesmo, amiga.
fui indicada pela duda pra responder essa tag que consiste em
associar livros à músicas da taylor swift.

espero que vocês gostem porque foi muito legal gravá-la, mesmo com toda a minha inibição com vídeos e coisa e tal.

com mais treino eu acho que consigo, né?

o único blog indicado foi o apenas mais uma xícara de café, mas quem quiser fazer, fique à vontade!!!


25/09/2014

busca

o tempo passou rápido demais, e eu continuo com as mesmas perguntas de sempre.
eu não quero ter que voltar e pensar que isso algum dia foi verdade,
mas também não quero que isso que fique no total passado.
eu quero continuar meus passos, quero manter minha vida em atividade.
quero que algo além, que eu consiga com um toque alcançar.

e então a chuva vai caindo lá fora,
como tal não fosse culpada,
e eu continuo embaixo do teto, embaixo dos cobertores, embaixo de qualquer coisa que me pareça uma proteção.

o tempo vai, e vai, e vai.
e não volta, volta, volta.
só eu que não avanço.
só eu que não acompanho o balanço.

mas definitivamente, tudo segue em frente.
nada precisa de muito sentido, nada precisa de muita alegria.
as coisas precisam de forma. e apenas isso.
as vezes elas são físicas, as vezes palavras.
ainda existe quando elas não são mais que mera lembrança.
sem sentido. se forma.

e eu volto cada vez mais pro que passou e penso como nada sou.
há quem diga da minha sorte. do meu saber. de qualquer coisa minha.
mas no fim, eu sei, que não existe nada. nada.

poso estar aqui, mas e depois? e depois não estarei em lugar algum.
sem forma e sem sentido.

mas eu não quero fazer sentido.
não quero fazer sentido.

23/09/2014

eu li um livro do nicholas sparks

Se tem uma coisa que eu abomino, essa coisa é o Nicholas Sparks.

Esses dias, eu cheguei na biblioteca e não tinha nenhum livro diferente, interessante, de capa bonita, ou leitura obrigatória. Mas eu também não tinha nada para ler. Então olhei pros lados e pensei "abomino tanto o cara, mas é tudo por causa de uma ideia vinda dos filmes. E a lógica é clara: filmes < livros". Peguei A Última Música para ler.

Fui arrastando a leitura até hoje. Hora do pai da moça morrer de um infeliz câncer.

E o que eu achei? Péssimo. Escrita péssima, estória péssima, personagens péssimos. Tudo péssimo. Mas além disso, tenho uma coisa a confessar: eu chorei. Quer dizer, se você não chorar, não vale a pena ler. Mas eu definitivamente não chorei por causa do pai da tia que tava com uma doença terminal. Esse livro muito filho da puta me lembrou da minha vó. E isso simplesmente me deixou muito, mas muito mesmo, chateada com esse cara de cabeça pequenininha e corpo malhado e sorriso perfeito.

Eu tava na escola, eles estavam tacando objetos que várias vezes me acertavam, e eu lendo aquilo. Me deixou triste e muito para baixo. E eu chorei tanto. E eu tava no meio da escola. E eu odeio que me lembrem da parte triste disso tudo.

E o que Nicholas Sparks me mostrou no final? Que além de muito péssimo escritor, ele também é muito cruel.

14/09/2014

HOJE EU ACORDEI SENTINDO FALTA DE VOCÊ

Tô morrendo de vontade de postar mil e uma mixtapes românticas, falar de algum filminho bobinho ou de Lola e o Garoto da Casa ao Lado. Simplesmente porque eu tô na época mais gay ever.

Mas eu nem preciso falar nada. Só esse filme já exprime a minha vida nesses últimos dias.
Becky
O amor não está tão no ar assim.
Bem, talvez esteja.

04/09/2014

Um pedido

Caras Tartarugas,

Tendo em vista a incapacidade humana em dirigir, governar, comandar ou guiar os países, cidades e estados brasileiros, peço a sua candidatura para os cargos de presidente, deputados estadual e federal, governador e senador. Tenho a certeza de que vocês, com seus pequenos e lindos rabinhos, e suas quatro nadadeiras muito fofas serão incapazes de roubar dinheiro público, fazer campanhas com dinheiro público, comprar votos, e também não serão corruptas. Eu agradeceria muito se aceitassem minha convocação, pois é muito difícil para a população brasileira ser obrigada a escolher o menos pior dos candidatos aos cargos públicos. Somos obrigados a ouvir propagandas enganosas em um horário destinado à isso, e precisamos acreditar que farão o que dizem em suas campanhas. Entendam queridas, eu não compactuo com nenhum partido nem candidato, mas sei que é o meu dever, e obrigação (o voto não é facultativo) votar, apesar de que seria bem melhor se os candidatos não pudessem dizer nada, assim como vocês não dizem. Melhor ainda se eles fossem verdinhos e tivessem cascos muito fofos, e olhinhos bem redondinhos, que me encantam muito, e não poluíssem a cidade com carros que tocam suas músicas grudentas e irritantes de campanha eleitoral, nem sujassem a rua com papeis estampados com seus sorrisos falsos. Eu poderia fazer um texto falando para os leitores pesquisarem antes de votar, e serem sensatos na sua escolha, mas todos já estão cansados de ouvir isso, e como já dito anteriormente, teremos que escolher o menos pior. Então se acreditam que a sociedade brasileira pode melhorar, apresentem-se à candidatura, e terão o meu voto.

Cordialmente,
uma cidadã em época de eleição.