17/07/2014

Quando o que parece não é

Já deve ter acontecido com você aquela velha história de estudar um monte para um prova, chegar no dia confiante, saber as respostas das perguntas, e saí da sala conta para os coleguinhas que foi muito bem. Mas quando o professor entrega a bendita prova, você vê que sua nota foi um lixo, e você se enganou completamente! Não, esse não é mais um texto sobre escola, prova, vestibular, estudo, despedida. Não. É um texto sobre essas coisas muito bacanas que acontecem nas nossas vidas e nós nos iludimos.

Todas as noites antes de dormir eu programo meu dia seguinte. Sei dos meus horários, quanto tempo eu levo para fazer determinada coisa, e o porque de eu fazê-la todos os dias. Eu sempre tenho certeza de tudo com relação a mim e ao que vai acontecer. Sempre. Eu sei que se eu lavar meu cabelo e dormir com ele molhado, ou sair no vento com ele, acordarei na manhã seguinte com a garganta doendo. Sei também que eu sou sempre a décima quinta pessoa da minha sala a chegar na escola de manhã, e sei a ordem das pessoas que chegam.

Claro que citei coisas corriqueiras, e quando se vive uma sequência, é normal que saiba qual o próximo número. Mas eu sei de fatos que não fazem parte da rotina. Por exemplo, sei que não adianta tentar ser legal com a minha irmã, pois ela sempre me receberá com um chute e um tapa. Sei também que não adianta tentar fazer amizades com meninas que riem dos meus amigos. E sei que eu não tenho a capacidade de ingressar em algo novo.

Mas há um tempo eu decidi quebrar essas minha certezas, decidi fazer algo que não havia feito. Claro que o meu subconsciente me dizia "Marina, para de ser idiota e não faça isso! Você vai se ferrar, vai quebrar sua cara ou alguma outra parte do seu corpo, tipo seu nariz! Estou avisando, não é a coisa certa a ser feita, sempre que você tenta me driblar acontece o mesmo: você perde!"

E daí que eu sabia de todas as possibilidades, consequências, e como ia terminar essa nova experiência? Eu só queria tentar, podia ser que dessa vez eu ganhasse, podia ser que dessa vez fosse diferente, e eu estivesse enganada. Eu fiz. Enquanto estava fazendo a minha certeza voltou, mas voltou diferente. Eu tinha certeza que era diferente, eu sabia que estava ganhando e, pra variar só um pouquinho, eu estava conseguindo sair daquele ciclo vicioso que entrei há alguns anos.

E na hora H o que aconteceu? Eu estava errada! Sim, meu subconsciente esteve certo desde o começo, eu errei, eu me precipitei, eu fui tola e egoísta por pensar em mim e fazer algo que poderia ser bom pra mim uma vez na vida. E é incrível, porque me enganei duas vezes: quando pensei que eu podia tentar, e quando tirei conclusões erradas antes da hora. Por isso eu não vou mais tentar contrariar a voz da sabedoria que existe dentro de mim! Vou voltar a ter certeza de tudo. E essa é a dica, ouçam a voz da sabedoria que existe dentro de você, não dê ouvidos ao seu pulmão, ou ao seu fígado. Lembrando que ir ao médico periodicamente é necessário, pois todos os órgãos ajudam você a viver!

Pelo menos eu variei na minha certeza...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?