12/06/2014

Meu "célebro bugou" por vocês!

Sei que já escrevi muitos textos melosos e chatos falando de família e amizade, mas se escrevo tanto, é porque isso move a minha vida. Assim sendo, mais uma vez venho aqui falar sobre o que sinto em relação aos meus amigos (aquele momento muuito meloso e sentimental, portanto, se não estiver afim de ler mais abobrinhas sentimentais escritas por mim, sugiro que pare agora!). Eu tinha os melhores amigos do mundo, e pensei que não podia encontrar mais pessoas maravilhosas, e agora vi que estava totalmente, completamente, literalmente errada!

Metade do ano já passou e o dia em que cada um tomará seu rumo está se aproximando. Uns irão pra São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, e outros continuarão aqui no Paraná, mas em cidades diferentes. E estou pensando sempre mais que, em breve não vou mais poder passar dois intervalos de quinze minutos com um bando de gente esquisita que eu amo muito. Estava conversando sobre isso ontem com um dos meus novos e incríveis amigos, e disse que mesmo que a amizade prevaleça, não será a mesma coisa que é agora, e ele me disse "sempre que você conversa com alguem, essa pessoa se lembra de vc, e se vc é legal, essa pessoa se lembra de vc com carinho, e vcs podem voltar a conversar" - Por favor não me mate por ter colocado isso aqui!

E parei pra pensar que ele tem toda a razão! Nesses poucos meses criei laços que não quero mais destruir, conheci o Pedro, o Alex, o Artur, o Bruno, a Carol, a Fer; e tem aqueles serzinhos que já citei várias vezes e continuam aqui no meu cérebro -eu queria dizer coração, mas todo mundo sabe (até eu que sou péssima em biologia) que nossos sentimentos não vem do our heart, mas sim do nosso cérebro, aquela massa que parece um monte de linguiça! Eu quero mesmo continuar na lembrança de todo esse povo doido que me atura (não sei como), e eles podem ter certeza que sempre estarão no "célebro bugado". Eu vou colocar o nome dos mais antigos pra depois eu não ter que ouvir que não amo mais e blá blá blá. Então Bruno, Rafa, Gabi, João, Ricardo, Thiago, Le, Calda, Gi, Aline, Júlia, Bianca, Ilana, Victor e Renan, ainda amo vocês, meu povo lindo!

Só pra terminar, ontem comecei a agradecer as pessoas que estavam falando comigo no face por me aturarem, e elas não devem ter intendido. Mas é que aprendi que devemos falar o que sentimos e pensamos pra quem amamos, antes que vão embora! Por isso, brigada por tornarem meu cérebro cada dia mais cheio e feliz, vocês fazem de mim uma pessoa melhor, e eu sei que encho a vida de vocês de amor e loucura every day! Amo vocês mais que brigadeiro!

2 comentários:

  1. ai ma!!! adoreii! tbm fico pensando nessas coisas...e infelizmente cada um ira para um canto :// mas sempre SEMPRE irei lembrar de vc!! A menina doidinha e super simpatica dos cabelos cacheados!! haha amei o texto hahah te amo mazinhaa!! *-*

    ResponderExcluir
  2. Ah mas adorei suas "abobrinhas sentimentais", rs. E olha que é a primeira vez que passo por aqui.
    Amizade é um negócio meio complicado, pelo menos para mim. Meus amigos sempre dependeram de "ciclos" na escola e no colégio. Mas os do colégio foram os que mais duraram. Estou com eles até hoje, apesar da distância de alguns. E os amo muito, ainda saímos juntos e, mesmo quando um ou outro só volta aqui para passar as férias, a alegria não diminui.
    Depende de pessoa para pessoa mesmo.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?