18/06/2014

Entre espinhos e bagaços

Ás vezes minha vida parece um tanto sem graça,
Tenho a impressão de que uma nuvem escura pairou sobre mim.
Sinto vontade de trazer o sol para perto,
Apesar de saber que não tenho esse poder.
Por isso eu visito jardins.
Jardins com várias espécies de flores.
Meus olhos se inundam com tamanha a beleza das pequenas.
Mas apesar de todas possuírem seus encantos, a que mais me chama atenção,
É uma tal de Rosa Vermelha.
Essa Dona é belíssima, e não tem noção
de como seu perfume desperta o meu olhar ensurdecido.
Mas essa mesma Senhora encantadora possui espinhos,
Espinhos que furam as minhas já muito machucadas mãos.
Sempre que tento tirar uma flor da Roseira, um novo espinho me espeta.
E é esse o motivo pelo qual não perturbarei mais você,
Dona Rosa Vermelha!
Até porque descobri um outro Ser nesse jardim encantado...
Ele não é muito bonito por fora.
Na verdade é bem estranho!
Entretanto, minha curiosidade por Àquele ofuscado pelo brilho da Dona,
Me ajuda a arrancá-lo do pé com mais facilidade.
Não reparei se havia espinhos, acho que é seu sabor desconhecido quem me atrai.
Levei o Pequeno para casa, e quando o cortei ao meio,
Aquele Fruto Feio se revelou o mais bonito ser que habitava o jardim!
O verde do seu bagaço falou para os meus olhos
Que o aroma não valorizado, tem o melhor dos sabores.
Assim concluo, que aquela dona rosa vermelha com seus espinhos ferozes,
Não possui nem a metade da magnificência do Senhor Fruto Verde-Por-Dentro!
E é com carinho que agradeço todos os olhares saborosos aos meus ouvidos,
Senhor Kiwi!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?