21/03/2014

Tipo Nárnia

Quarta-feira eu tive aula de filosofia, e meu professor entrou no assunto Platão. Ele explicou todo aquele lance do mundo das ideias e do mundo sensível, e eu não pude não associar a teoria com a história de Nárnia. A teoria é a seguinte: existe dois mundos, o sensível, e o das ideias, como já disse antes. E nós vivemos no mundo sensível, que é imperfeito, corruptível, e todas as coisas que estão nesse mundo, são cópias das coisas que existem no mundo das ideias. Segundo o filósofo, nossa alma estava no mundo inteligível, e lá é perfeito, incorruptível e eterno. Disse também que as almas devem se lembrar do que viram no hiperurânio, desdenhando e superando o mundo sensível. Tudo o que foi criado é do mundo sensível, e o que sempre existiu é do inteligível.E a parte que eu associei à Nárnia é que, no primeiro livro, Digory e Polly criam Nárnia, ou seja, ela pertenceria  ao mundo em que vivemos. Quando ela é destruída o último livro -desculpem pelo spoiler- eles vão para a verdadeira Nárnia, a pura, verdadeira e melhor. E no último livro Aslam diz que a Nárnia que eles conheciam era uma cópia da real, que pertenceria ao mundo das ideias. Um resumo bem resumido do que aprendi na aula de filosofia! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?