30/01/2014

A despedida

Escrevi muitos textos inspirados em você.
Perdi meu tempo pensando em você.
Desperdicei sentimentos com você.
E em um belo dia,
eu descobri que você também pensava em mim.
Fiquei feliz. Muito feliz.
E gastei mais horas imaginando nós dois.
Mas agora, algo mudou.
Eu não consigo mais contar minutos
lembrando de você.
Não consigo desejar e sentir o que 
desejava e sentia antes.
Justo eu, que acreditei em tudo.
De uma hora para outra,
simplesmente não quis mais.
Eu não quero mais.
Não sinto, nem gosto mais.
Você é muito especial para mim,
por isso estou me despedindo.
Esta é a minha despedida pra você.

Bandas novas de janeiro

Quando finalmente criei um Last.fm pra ver o que é, acabei encontrando algumas bandas e achando elas muito boas. Algumas, é claro, eu já tinha ouvido falar, e muito bem. 
sublimation | via Tumblr
DIIV - anteriormente conhecido como “Dive”, é uma banda de indie rock formada em 2011 em Nova Iorque, Estados Unidos, mais precisamente no Brooklyn. DIIV começou como um projeto solo de Zachary Cole Smith. Após lançar os três singles - “Sometime”, “Human”, e “Geist”, DIIV lançou seu álbum de estreia,Oshin, no dia 26 de junho de 2012.
(o solo de baixo inicial dessa música é muito bom!)

Guided by Voices Pictures (1 of 43) – Last.fm
GUIDED BY VOICES - essa banda em especial eu conheci no livro "Cidades de Papel". É uma banda de indie-rock americana de Dayton, Ohio. Começou em 1983 e teve muitas transformações mas sempre manteve o principal cantor e compositor Robert Pollard. A banda se desfez em 2004 porque todos os integrantes seguiram carreira solo. 

bombay bicycle club - Hledat Googlem
BOMBAY BICYCLE CLUB - vem do Norte de Londres, na Inglaterra, teve seu nome inspirado em um restaurante indiano da região. É formada por Jack Steadman (vocais e guitarra), Jamie MacColl (guitarra e baixo), Suren de Saram (bateria) e Ed Nash (baixo e teclados).

(5) Tumblr
CRYSTAL CASTLES - (acho que a maioria já conhece) é um duo originário de Toronto, formada em dezembro de 2003 pelo multi-instrumentista Ethan Kath e a vocalista Alice Glass.

Untitled
LITTLE JOY - é uma banda composta por Binki ShapiroRodrigo Amarante e Fabrizio Moretti, três amigos que deixaram de lado suas rotinas (e bandas) para a gravação de um álbum na California.

Melody's Echo Chamber
MELODY'S ECHO CHAMBER - é o projeto solo criado pela multi-instrumentista francesa Melody Prochet, de dream pop/rock psicodélico. Seu primeiro e único álbum é fruto da sua colaboração com Kevin Parker (Tame Impala), com quem se encontrou nos bastidores de um show em Paris, na França; eles discutiram a ideia e então surgiu o projeto. 


mgmt | via Tumblr
tão gay que tive que colocar.
MGMT - que todos já conhecem, é uma banda estadunidense de rock psicodélico formada em 2005 no Brooklyn por Ben Goldwasser e Andrew VanWyngarden (lindooooo!). Após o lançamento de seu primeiro álbum, os membros da sua banda ao vivo, Matthew AstiJames Richardson e Will Berman se juntaram à banda principal de estúdio. Formado na Universidade Wesleyan e originalmente com a Cantora Records, mais tarde assinaram com a Columbia Records e Red Ink em 2006.

E essas foram as bandas que conheci em janeiro. É claro, conheci mais e ouvi mais, mas nada que me fizesse dizer "como são legais!" como essas aí. 
Conhecem todas?

26/01/2014

Ela me escolheu...

Nunca tive vontade de ser mãe. Nem ouvindo muitas meninas da minha idade discutindo sobre os nomes de seus futuros filhos, ou como elas irão vestir seus bebês. Nunca tive vontade de receber um presente de dia das mães, ou carregar uma criança na minha barriga por nove meses. Nem ouvir minhas tias e minha mãe dizer que não há nada melhor do que ter um filho, me fez querer ser mãe.

Mas tem uma outra coisa que sempre quis ser: madrinha. Não importa se de batismo ou de crisma, mas eu sempre quis. Porque pense comigo, você não escolhe seus irmãos, ou seus pais, mas você escolhe seu padrinho ou madrinha de crisma, e alguém escolhe você para ter um afilhado.

Escolhi minha madrinha de crisma quando tinha 7 ou 8 anos, e foi a prima L. Ela morava na cidade onde eu moro. E hoje percebo que não existe ninguém no mundo que desempenharia a função melhor para mim do que ela. É meu exemplo, e eu quero ser como ela. Quero ser honesta e ter o caráter dela, estudar, trabalhar no que gosto, e realizar todos os meus sonhos.

E existe uma pessoa no mundo que eu sempre quis que me escolhesse para ser seu exemplo, para ser sua guia: minha irmã H. E hoje, ela colheu uma flor e quando foi me entregar me convidou para ser sua madrinha. Eu não consegui segurar e comecei chorar na hora. Minha mãe também chorou.

Vai demorar para ela ser crismada, ela nem começou ir à catequese ainda. Mas quando esse dia chegar, será um dos melhores dias da minha vida. Espero desempenhar a função da maneira mais perfeita possível, assim como a L. desempenha. E a minha pequenina será muito mais do que minha irmã. Só para constar, estou chorando enquanto ouço Lykke Li e escrevo esse texto.

25/01/2014

Então eu só vou me esconder

Alguém gritou para eu ir ajudar, e não atrapalhar, então me coloquei a fazer chá. E depois disso, a deitar-me ao lado da minha irmã, e esperar a irritação me dominar por toda aquela infantilidade da criança de três anos. Ela não é muito diferente de nós. De mim.

A questão é que o mundo é bem cruel. Aquela mania irritante de tudo que não acho graça, mas todos os outros acham, ser seguido de "não seja cruel" é apenas irritação, e não mania linguística. O mundo é cruel. As pessoas gritam nos seus ouvidos por quererem ser ouvidos. Eu só faço cara feia. "Que crueldade!"

Estava totalmente determinada a aproveitar essa tarde de chuva, que demorou a vir, tomando um café, lendo e fazendo qualquer boeirinha na internet. Mas aqui estou eu, ouvindo gritos e choramingos, e não podendo fazer nada, além de me irritar e gritar.

Ninguém ligaria se eu chorasse, mas porque está gritando dessa forma como uma criança, para com uma criança?

Ah, isso é crueldade.

23/01/2014

O lagarto entalado

Em uma tarde dessas, eu e minha incrível mãe estávamos tomando um tererê na varanda de nossa "casa de campo", quando ouvimos um barulho no chão da grama da vizinha. Nós nos levantamos e fomos ver o que era, mas nem foi preciso...

 Dois lagartos vieram correndo na direção da cerca que separa a nossa casa da casa da vizinha. Um estava correndo atrás do outro para brigarem. E quando o lagarto de cor feia - que estava fugindo - foi passar pela cerca, ficou entalado.

Minha mãe comentou "agora você vai ver um lagarto apanhar!". Mas ao invés do lagarto de cor bonita morder, bater, ou fazer algo agressivo no outro, ele começou ajudar o lagarto entalado a sair da cerca. Assim que o preso conseguiu sair, ele correu e o outro correu atrás, e a briga recomeçou...

A lição que eu aprendi, na verdade a lição que a minha mãe aprendeu e me falou é a seguinte: nunca brigue com alguém que esteja em uma situação inferior à sua. Tipo, eu não sou de brigar, mas agora eu sei que se um dia eu estiver correndo atrás de alguém para dar rabadas nele, e o ser ficar entalado em uma cerca, eu tenho que primeiro ajudá-lo a sair, pra depois correr atrás.

21/01/2014

Eu gosto

A maioria das pessoas que conheço diz que não gosta de fazer viagens longas de carro. Diz que é chato ficar horas sentado sem fazer nada, que é um tédio, e que são horas desperdiçadas. Mas eu gosto muito de viajar e ficar sete horas dentro de um carro.

Gosto do ar condicionado ligado na temperatura mais baixa e em máxima velocidade. Gosto de olhar o céu, seja ele azul, cinza, de dia, de noite, nublado, chovendo, com sol. Gosto de ouvir as músicas do meu celular, ou dos CDs que meus pais gostam.

Gosto de ficar sentada sem lavar louça, ou estudar, só pensando na vida e vendo o céu. Gosto de comer tranqueiras de viagem, e gosto de conversar com meus pais sobre coisas que conversamos quase todo dia, só que aprofundando um pouco mais. E eu amo olhar as paisagens de beira de estrada.

Pra mim é um terapia, me relaxa e eu fico descansada quando viajo. E o tanto de asfalto que o carro percorre me faz pensar no quão pequena e insignificante eu sou nesse mundão. Domingo eu descobri que minhas duas primas preferidas também gostam de viajar. Amei!

Gente talentosa é uma desgraça.

Cheguei a essa conclusão.

Sabe, aquela gente que que fala: Ah, acordei as três da manhã, e resolvi desenhar um pouquinho, sabe?" e o resultado, é tipo... bem... isso:

Ou que vai tirar uma foto de viagem, sem compromisso, e saí a oitava maravilha do mundo.

Ou quem só vai falar alguma bobeira, e saí a mais linda de todas as poesias.

Gente talentosa é uma desgraça. E eu estou quase desistindo de amar e admirar o mundo da arte. Porque tá difícil para mim. Tá cada dia mais difícil. Não tem uma palavra que preste em meu vocabulário, um rabisco que preste em meus desenhos, não tem uma foto que preste em minha câmera.

Não tenho talento nem para viver, quanto mais para ser artista?

Não tenho nada de diferente, e isso me deprime. Ah, como gostaria eu de saber fazer algo bem.

Sou apenas metida a escritora, que no fim, não consegue nem fazer uma redação de escola. Mas eu coloco a culpa nos temas nada poéticos, e na falta de originalidade da mente das professoras, que não apreciam o diferente, a falta de maiúsculas no começo de frase, uma palavra em cada linha.

Onde está a poesia desse mundo?

17/01/2014

Chefe de cozinha

Quando tinha uns oito anos, tinha duas opções de trabalho: NASA ou chefe de cozinha.

Então agora eu vejo como não sirvo para nem uma nem outra. Quer dizer, sei lá o que eu queria na NASA, nem sei como funciona, ou o que eu faria. Me achava a astrônoma por saber o nome das constelações básicas. O Universo ainda me fascina, mas não por trabalho. Sei lá se eu aprecio. Quanto a culinária. Bem. Ainda acho bem legal esse negócio, e toda vez que eu vou fazer o almoço, não deixo de ensinar minha receitinha no programa de culinária da TV - uns brincam de restaurante enquanto lavam a louça, eu ensino receitas...(?)

O x da questão é: tudo o que eu faço fica muito bom. OK, macarrão com tomate e manteiga não tem como ficar ruim. Mas eu deixo o macarrão no ponto certo, o molho com a quantidade exata de sal, e sempre minha irmãzinha elogia muito e pede para repetir - o que ela não faz quando Ana faz o almoço... -, mesmo o bife com milho, ou bacon e alho, o milho com o macarrão e o molho de tomate. A salada, eu consigo deixar ótima. Eu tenho uma mão boa para isso, devemos admitir. Mas daí eu penso, tipo, eu meleco a cozinha inteira, e se eu faço um quilograma de carne, eu sirvo oitocentos gramas, porque, eu como enquanto cozinho, eu seria aquelas chefes gordonas, mas legais, tipo a Anne sei lá das quantas do Segredos de Uma Chefe - sei lá se é Anne, mas eu gosto do programa dela.

E hoje vou fazer o almoço novamente. Adivinha o que? Macarrão com shoyu, milho e cenoura, e manteiga - é claro! -, bisteca de porco e mais alguma coisa que eu ache na geladeira e feijão. É que eu sou muito criativa com o milho enlatado, só demoro séculos para abrir...

E só para terminar esse post sem noção, sem meio, começo ou fim, ou sentido, queria dizer que meu ponto alto foi um frango com manteiga, maionese e cenoura, que ficou IN-CRÍ-VEL, e nós comemos um peite inteiro de frango. Eu, Ana e Maria. E que um dia, Tia M., você poderá comer de graça no meu restaurante. E todos vocês, caros fantasmas do Vírgula Assassina. Não estou dizendo que vou fazer gastronomia, porque minha mãe está quase me convencendo em arquitetura, porque eu adoro decoração, tenho ideias criativas e estou desenhando bem (???????????).