11/11/2013

Então eu estou saindo fora

Você pode ser contínuo, diário, não faltar, como também pode ser faltoso, nunca. E eu não sei bem a qual me encaixo.

Sou apenas um bloco de concreto esperando ser encaixado em algum lugar. E ali ficarei. Para o resto da minha vida.

Não sou muito de entender, ou tentar compreender. Eu crio. Aliás, nunca fui boa com interpretação de texto. Não tenho os olhos de quem escreveu. Nunca conseguirei olhar da mesma forma de como quem escreveu. Ou criou.

A questão é: para que ficar com esse monte de filosofia barata de "o melhor jeito de ganhar uma guerra é evitando-a", ou esse tipo de coisa que no fim não tem significado nenhum, se no fim, no fim mesmo, isso não muda nada? São só palavras. E que o que as palavras fazem? Nada. Exato, meu doce.

Estava pensando. Não quero ser agressiva. Eu consigo. Eu estava pensando. Acho que agora, por fim, entendi. Quer dizer, não tem nada para entender.

E por fim, por isso tudo, por toda essa confusão, eu estou saindo fora. E por isso eu acho que não. Enfim. E por esse conflito, eu apenas estou saindo fora. Quer saber? Não há sentido, não há motivo. Há palavras.

Entenda-as e faça o que quiser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?