29/06/2013

sozinha



Caminhando em lembranças, sozinha na noites, um cigarro entre os dedos e a sujeira toda no chão. Dor nas costas, na cabeça e no coração. Um livro novo, rasgado em pedaços. O buraco ardia. O medo me tomava. Eu estava sozinha.

Via todas aquelas pessoas felizes caminhando com seus cachorros, na chuva, no pôr-do-sol, à meia-noite após a ida ao bar. Voltavam pras suas casas, dormiam em paz, acordavam e a vida continuava perfeita como havia sido desde sempre. E eu sempre ali. Sorrateira e indiferente. Não que isso afetasse a integridade humana, porque não. Isso não afetava. E isso nunca afetará.

Eu ainda me sinto sozinha, com o estômago embrulhado em papel filme. Respiração fraca, sonhos altos. Algumas vezes eu até penso em lutar. Lutar contra o nada e vencer tudo. Minha mente fértil me diz pra continuar. Ela me diz pra seguir em frente; pra procurar algo que me faça feliz. Palavras amenas me fazem feliz. A caneca semi-quebrada que corta meus lábios cheia de chá verde me deixa feliz. Os tocos de cigarro jogados pelo chão e nas aberturas das janelas me deixam feliz. Meu apartamento minúsculo com cara de nada me deixa feliz. E a vida ridícula que sempre levei me deixa feliz.

Eu já pensei em me importar. Eu já desisti também. Eu já me virei pro lado e já vi que ninguém estava ali. Eu já olhei pra lua e imaginei como lá seria um ótimo lugar pra viver: tão brilhante, linda e sem ninguém.

Às vezes as pessoas me dão medo. Mas aí eu percebo que, de quem eu tenho realmente medo, é a minha sombra.

18/06/2013

Geração Coca-Cola...

   Oi pessoas! Sei que já leram muitos textos, frases, assistiram vídeos, viram fotos sobre os protestos que estão ocorrendo no Brasil, e em alguns outros países. Mas eu não podia ficar quieta com tudo isso, até acho que demorei muito pra escrever sobre o assunto! Amo essas coisas de protestos, amo ver as pessoas se unindo por protestos que vão beneficiar não só algumas pessoas, mas toda uma sociedade.
 
   Isso que está acontecendo, por causa de um aumento de 20 centavos na passagem de ônibus em São Paulo, mas não é só por 20 centavos. Esse aumento não seria tão ruim se os transportes coletivos fossem de qualidade. E esse aumento foi uma faísca, foi a ponta do iceberg.
 
   Políticos corruptos, caos na saúde, educação fraca, moradias em estado precário, impunidade, PEC 37, e uma Copa do Mundo, na qual será gasta mais de 1 bilhão de reais em estádios. Essas são algumas coisas que os brasileiros estão querendo melhoras. Não precisamos de estádios que não serão usados depois da Copa, não precisamos de PEC 37! Precisamos de hospitais, escolas de qualidade, saneamento básico, transportes públicos de qualidade, professores que ganhem o que merecem, menos impostos, e muitas coisas!
 
   Esses manifestantes que estão nas ruas, gritando, pulando, mostrando cartazes, e mostrando a indignação, é a prova de que o país está acordando. Estão mostrando que os políticos não podem roubar e o povo vai assistir como se nada estivesse acontecendo, não são burros. Eles estão lutando por um Brasil melhor, estão lutando pelo futuro de todos, e vão continuar lutando até conseguirem melhorias.

   Na hora de se unir, não importa cor, sexo e idade; a única coisa que realmente importa é que está todo mundo indignado com tudo isso, e nem tapas, tiros de borrachas, gases de efeito moral vão segurar esse povo lindo, esse povo corajoso. A cada hora, hora não, minuto, que eles estão nas ruas lutando, são mais vidas nos hospitais que estão salvando, mais alunos aprendendo, mais pessoas vivendo melhor, e um país progredindo. Digo isso, porque mesmo que todos os problemas sejam resolvidos, o povo mostrou que tem força, deixou seu recadinho para os políticos corruptos.
   Eu tenho orgulho de ser brasileira, e estou junto com todos os manifestantes que estão brigando com garra nas ruas, nas redes sociais, e em outros meios. Eu sou totalmente a favor dos protestos. Não sou a favor de violência, e vandalismo. Mas cá entre nós, vandalismo e violência é o que alguns políticos fazem com a nossa cara, né. Então meus parabéns a todos que estão ajudando nessa luta, afinal, somos a geração Coca-Cola! E para os que não concordam com os manifestos, deliguem a TV, e saiam do computador, porque a revolução está apenas começando...
 
   Então é isso galera, essa é a minha opinião, que na minha opinião, está certa!

   E pessoas, aproveitando esse clima, ouçam essa música de protesto que a minha amiga compôs, cantou, tocou e filmou. Eu achei a música muito legal e a letra é muito boa!

16/06/2013

Deixe

Deixe a arma.
Deixe o ar.
Deixe o som.
Deixe a poesia. A melodia.
Deixe o dom.
Deixe o sentimento.
Deixe o corpo.
Deixe a alma.
Deixe o frio.
Deixe o molhado. Ressecado.
Deixe os pássaros.
Deixe as pessoas.
Deixe o crime.
Deixe o silêncio, e também o vão.
Deixe as provas, o corpo, e os cortes.
Deixe-se levar, deixe-se cair sobre a flores.
Deixe-a ir.

14/06/2013

Aquele momento "Eu odeio química..."

   Oi pessoas, antes de começar escrever o que eu quero escrever, quero pedir desculpas por não postar mais, e justificar a minha ausência. Como todos já sabem, estou estudado um "pouquinho" para o vestibular e para o ENEM, aí né, já viram... não tenho tempo pra quase mais nada. E como eu toquei nesse assunto, vou continuar, porque é sobre isso que eu vou falar. Escrever.

   Quarta tive prova de biologia, e amanhã terei prova de química. Estou estudando muito pra essa prova, e estudei muito pra de biologia, inglês, redação, e já estou estudando história e filosofia. E ah, antes que me esqueça, amanhã vou começar estudar física. E eu estou ficando maluca! Muuuito maluca! Mais do que eu já era normalmente...

   Outro dia, eu tinha que ir dormir cedo porque no dia seguinte teria prova de matemática, e eu passei o dia inteiro estudando. Me deitei as dez horas, mas consegui dormir depois das onze. Tive pesadelo a noite inteira com a matéria da prova. E de repente... acordei, mas era apenas quatro e dez da manhã. Tentei dormir mais, mas o que consegui foi apenas fazer minha cabeça começar doer. Sei que isso é normal, mas quando começa acontecer pelo menos uma vez por semana é loucura. E não é só isso. Ás vezes estudo, estudo, estudo, e não entendo nada, só desentendo.

   Estou muito insegura com relação à minha entrada na universidade. Sei que já escrevi isso, mas meus pais se formaram na UEL, e parece que é minha obrigação me formar lá também, mais ainda porque eles estão investindo em mim, e seria um desperdício não conseguir. Eles falam que eu vou conseguir entrar lá, mas será que vou?

   E me dá um medo sobre o curso que vou fazer. Será que é o curso certo pra mim, será que vou ser boa nessa profissão? Dá um frio na barriga pensar que a minha vida vai depender de um escolha que farei ano que vem. E essa nuvem negra do vestibular parece que não deixa eu pensar em outras coisas. Por isso estou estudando, para passar.

   Minha mãe diz que eu estou exagerando quanto aos estudos, diz que eu tenho que me divertir mais, e que se eu não parar de pirar, vou deixar ela maluca. Mamãe também fala que eu preciso estar calma e tranquila pra hora da prova. E que ainda tenho um ano e meio, e se eu não passar na UEL, vou pra outra universidade e tudo certo. Mas eu não quero outra. Só quero voltar a sonhar com comida...

   E pra terminar, ouçam essa música que eu amo, e que descreve bem o momento, enquanto eu estudo química. Ah, mais uma coisa : "Eu odeio química!"

09/06/2013

a chuva começou cair

Andavam dizendo por aí que passava triste pelos jardins floridos e cantava canções fúnebres celebrando os dias que iriam vir. Usava um cabelo longo trançado e a franja longa sobre os olhos, o que me fazia cair, quase sempre. Eu tinha sono. Sonhos e esperanças. Não esperei nada de ninguém, muito menos de mim. Eu não estava triste. Eu não estava mal. Eu estava um poço de flores amassadas, com vontade de serem pisoteadas, com um leve chuvisco caindo em cima e multidões cantando a vida e a alegria. Eu estava um nada. Um nada que queria ser muito. O sol bateu, eu evaporei, comecei a sorrir e tudo estava certo.
Digam o que querem.
Eu sorri, continuei andando e a chuva começou cair.

03/06/2013

Agora

Eu quase que poderia ficar aqui, sentada, com os pés doendo, e escutando aquela melodia de fundo, olhando ao redor, e dando importância para aquela pequena borboleta que estava parada no mesmo banco que eu. Mas eu não podia. Não agora. Não agora. Não agora. Agora que alguém espantou a tal borboleta. Agora que a melodia acabou. Agora que só me restava o pé doendo. E alguns pensamentos melancólicos. Principalmente os pensamentos.

Que foram espantados por risos de duas crianças.