01/03/2012

5039066946_26d2f055da_z_large
Algum dia alguém me entenderá, e saberá o que conto para cada um dos 25 quadradinhos atrás de casa.
Um dia, alguém saberá realmente quem sou e o que quero.
Mas enquanto esse ser não chega, fico com o ninguém, que é bem mais confortante.
Não são apenas palavras que formam uma poesia, e nem rimas. E sim sentimentos, que podem ser expressos de forma tão ridícula.
Se é que podemos dizer que alguém algum dia fez uma poesia, com o real sentido.
Se é que poesias são tão encantadoras como deveriam ser...
Olhar, simplesmente olhar...
Nossa, como é difícil sem intrometer no meio de nada, enquanto apenas, observa.
O sorriso amigo pode ser tão falso quando precisamos dele, e tão confortante em apenas momentos inúteis.
Será que só prestamos realmente atenção nos detalhes quando realmente precisamos?
Ou vivemos um mundo sem detalhes, que inventamos nós mesmos, para nos satisfazer? Para encontrarmos uma resposta para a vida e seus sentidos?
Nem sempre reparamos, mas não precisamos inventar nada para ter resposta, apenas acreditar em tudo oque sempre acreditamos, e sempre queremos.
Nada pode nos mudar, isso é certo.
Nada pode nos transformar em algo que não somos.
Ser ou não ser, é  uma questão. 
Uma questão com várias respostas.
Cada um inventa um mundo.
Isso se ela realmente quiser viver nesse mundo.
Isso, se realmente, isso for possível...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, não temos super poderes - uma pena - para acabar com você. Mas diga, e se o Skywalker usasse a Contracorrente e Percy um Sabre de Luz?